Tendências

Tendências

AI Ethics | Biodata | Biometric | surveillance | Tech Policy

O novo protótipo do Pentágono: Jetson

Publicado em 08/07/2019

Você pode mudar seu rosto com uma cirurgia plástica ou até mesmo queimar suas impressões digitais, mas terá dificuldades para evitar a identificação quando os militares dos EUA começarem a implantar seu mais recente gadget de vigilância.

De acordo com o MIT Technology Review, um laser foi desenvolvido para o Pentágono que pode ler as assinaturas de batimentos cardíacos únicos das pessoas, depois de ter sido solicitado pelas Forças Especiais dos EUA. Com o nome de código Jetson, o dispositivo ainda está no estágio de protótipo, mas já consegue ler as pulsações de cerca de 200 metros (656 pés) de distância, até mesmo através das roupas das pessoas.

Enquanto outras credenciais pessoais, como faces, impressões digitais e íris, são normalmente usadas para reconhecimento, as semelhanças entre os indivíduos significam que erros de identificação podem ocorrer. No entanto, cada pessoa tem um perfil de batimento cardíaco completamente único e distinto, tornando-a uma biometria muito mais confiável para identificar os indivíduos.

Jetson usa uma técnica chamada vibrometria a laser para detectar as sutis mudanças no reflexo da luz ultravioleta, à medida que a pele e a roupa de uma pessoa se movem com o batimento cardíaco. Como tal, pode ser utilizado para identificar pessoas à distância e de qualquer ângulo, o que é mais conveniente do que os métodos atuais que exigem uma visão clara do rosto de uma pessoa ou o acesso aos seus dedos.

Ver outras tendências